Meu Perfil
BRASIL, Centro-Oeste, GOIANIA, Homem



Histórico


Categorias
Todas as mensagens
 Link
 Evento
 Citação
 Avaliação
 Objeto de Desejo


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 Pequiman
 Kaio
 Randall
 Matheus Azevedo (música boa)
 Michi
 Trivela
 Zeca Camargo
 Lúcio Ribeiro
 Lisandro Nogueira


 
 
Um Tiro no Escuro


TRISTEZA NÃO TEM FIM

Não podemos aceitar que a CBF mais uma vez tenha vendido a Copa pra Adidas. Não me conformo em torcer por nosso escrete canarinho cheio de mercenários. A Nike não se importa em vender Copas e aceitou mais uma vez vender a deste ano. Eles devem aumentar bastante a venda de tênis e outros produtos quando nós, povo mais esperto e inteligente do planeta, entregamos jogos para o franceses. Zidane é um jogador comum, sem importância no futebol mundial. Barthez é uma frangueiro. Raimundão não entende nada de futebol nem de tática. Nós somos o país do futebol, aquele esporte que os ingleses acham que inventaram. Escrevo este post com lágrimas nos olhos. Torci tanto pelo Barbosa, ops, Dida. Queria tanto ver R10 mostrar que é o maior jogador de futebol de todos os tempos.  Temos os melhores jogadores do planeta. Temos os dois melhores laterais do mundo. Temos Kaká, aquele que saiu injustamente vaiado do Morumbi. Vou jantar no La Tartine. Depois vou chorar essa grande decepção. Brazil! Brazil! Brazil!



Escrito por Riccardo Joss às 17:33:04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Let´s rock the fucking house!

Tive um insight. Estava preparando um texto sobre a semifinal de 1966, disputada entre Inglaterra e Portugal. Começava assim: Wembley, 26 de julho de 1966, eu era um bebê, o homem ainda não tinha ido à lua, meu pai ainda não tinha amante (será?) e Revolver estava pra ser lançado. Portugal vinha fazendo uma Copa sensacional, mas num estádio com mais de 90 mil pessoas, os lusitanos não suportaram a grande partida de Our Kid Bobby Charlton (2 gols), futuro cavaleiro do UK. Foi um jogão e Eusébio, craque da época, também fez seu gol. Banks fez grandes defesas. E o jogo terminaria 2 a 1 pros ingleses.

Nem estava pensando em Copa e fui ver o dvd do New Order que a Luciana me deu de aniversário. “New Order é minha vida”. Tudo que mais gosto na vida é da Inglaterra. Posso listar aqui as bandas, os livros, os filmes etc que me fizeram o que sou (para o bem ou para o mal). Tudo vem de lá.

Amanhã vou acordar e comprar muita cerveja pra ver o English Team. Não faz sentido eu torcer pra times de tango, samba ou fado. England! England! Até ensaiei a dancinha do Crouch.



Escrito por Riccardo Joss às 23:26:22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



FRANÇA X BRASIL I: A REVANCHE

 

 

Stade de France, 18 de junho de 1998. Henry fez dois gols. Não, não errei a data nem o autor dos gols. O técnico era o Parreira, o adversário era a Arábia Saudita. Este é o famoso jogo da expulsão de Zizou na Copa da França. Disseram que Zizou estaria acabado e que ele sairia da Copa sem marcar gols. Daquela vez, eu não tive dúvida: Zidane não terminaria a Copa sem gols, mas é uma história que só o Pequiman sabe. O que vale lembrar é que a dupla Zagalo-Parreira voltou do Mundial com sete gols franceses tomados na cacunda.O time da Arábia tomou mais dois gols (Trezeguet e Lizarazu) – provocando a demissão durante a Copa do Parreira - e os detalhes da final todo mundo conhece. Por fim, a tão falada vingança é mais difícil do que se imagina.

p.s. Iberê já estava em Cuiabá.



Escrito por Riccardo Joss às 10:24:00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



ALEMANHA X ARGENTINA II

 

 

Era 8 de julho de 1990, eu já tinha visto Deus no Serra Dourada e, mesmo fora de forma, Ele tinha levado os hermanos para mais uma final de Copa do Mundo. Eu estava numa fase complicada na minha vida. Já não suportava estudar Veterinária, o Brazil era um combinadão do Vascão e o presidente era o Collor e Berlim não tinha mais o Muro.

Quem fez milagre na Copa da Itália foi Goycochea na decisão por pênaltis contra Itália, num jogo em que Diego falava, durante a execução do hino: “Hijos de puta! Hijos de puta!” E o jogo foi em Nápolis, cidade que cantava seu nome.

Cannigia, que tirou o time de Lazzaroni do Mundial, não podia jogar a final, já que tinha recebido o segundo cartão amarelo. A italianada estava inconformada com o comportamento de Maradona. E a Alemanha tinha Matthäus. O ex-técnico do Atlético-PR fez uma bela Copa.

Iberê não estava lá em casa. Dessa vez, quem viu a final na companhia de mamãe e eu foram os familiares aqui de São Paulo. Entre eles, Jorginho, um primo que foi ver Deus no Serra, comigo e com Emiliano um ano antes.

Foi uma final fraca e de marcação pesada. E só podia terminar como um gol de pênalti marcado quando todos já esperavam pela prorrogação.

Não me lembro onde estava Iberê. Renata também estava sumida. E na próxima final, eu já conheceria o Alex, só porque abandonei a Veterinária.



Escrito por Riccardo Joss às 22:12:29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



CÃO ELEGANTE

http://caoelegante.blogspot.com/

Classificação:

TUDO QUE ME PEDEM, EU FAÇO. EMILIAAAAAAAAANO ESTÁ DE BLOG NOVO E QUER VISITAS.  NOME DO NOVO SÍTIO DO RAPAZ DE ANÁPOLIS NÃO É TÃO BOM QUANTO O ANTIGO, MAS O CONTEÚDO É O MESMO. CADA UM É RESPONSÁVEL PELO QUE ESCREVE E LÊ. E ELE TINHA PROMETIDO BLOG SÓ DEPOIS DA COPA, QUANDO ESTAREI SEM COMPUTADOR. HEH.



Categoria: Link
Escrito por Riccardo Joss às 19:57:28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



COPA - OITAVAS

Seleção das oitavas: Buffon, Miguel, Cannavaro, Vashchuk e Sorín; Maniche, Maxi Rodriguez, Vieira e Zidane; Podolski e Klose.

 

Palpites pros classificados das quartas: Alemanha (mas torcendo pra Argentina), Itália, Inglaterra e França.

 

Nas oitavas, acertei: ALEMANHA, ARGENTINA, ITÁLIA, INGLATERRA, BRASIL. Pequiman acertou mais: Alemanha, Argentina, Inglaterra, Portugal, Itália, Ucrânia e França. Mas quem entende mesmo de oitavas-de-final é o Emil, que acertou todos.

Ficou assim: eu com 20 acertos, Pequiman também com 20 e Emil com 19. Será uma boa disputa até o fim.

 

Por fim, os chutes do bolão:

 

ALE 2 X 1 ARG (com dor no coração)

ITA 2 X 0 UCR

ING 2 X 1 POR

BRA 1 X 2 FRA



Escrito por Riccardo Joss às 17:39:53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



OS AZUIS

Albert Camus

Marcel Proust
Honoré de Balzac
Victor Hugo
Gustave Flaubert
Charles Baudelaire

Voltaire

Stendhal

Rimbaud

Verlaine

Chordelos de Laclos

 

Marguerite Youcenar

Marguerite Duras

 

Com um time deste, os gauleses devem estar mesmo muito preocupados com o jogo de sábado. Notem que tem duas craques no banco. Acordei na madrugada com esse pesadelo. O Bananão precisa mesmo vencer a Copa. Ao menos a Copa. Brasil! Brasil! Brasil!



Escrito por Riccardo Joss às 01:23:17
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



ARGENTINA X ALEMANHA I

 

Estádio Azteca, 29 de junho de 1986. Eu estava em casa com Iberê e minha mãe. Mais uma final de Copa. Não tínhamos mais dúvida: Maradona era melhor que Pelé. Talvez por isso estávamos só nós três em casa. Minha irmã, provavelmente estava ouvindo Engenheiros do Hawaii no quarto.

O motivo de tanta certeza eram dribles e ofensividade nos jogos contra a Inglaterra e Bélgica. Leia-se Maradona. Ele era o atacante do time, apesar de Valdano aparecer como o último nome na escalação do time de Carlos Billardo. Burruchaga jogava com a 7, mas era meia.

No começo do segundo tepo, Maradona lançou Valdano, que fez 2 a 0 pros hermanos. Parecia que ninguém poderia tirar o caneco dos argentinos. Os tedescos tinham, porém, Rummeniggie, que -mesmo fora de forma- consegui em duas jogadas empatar o jogo (gols dele e de Völler). Eu e Iberê trocamos olhares. Será que estávamos errados?

Naquele tempo, a Argentina tinha Maradona. O melhor Maradona de todos os tempos.  Mais um drible curto e um passe para Burruchaga desempatar o duro prélio: era o tetracampeonato da Argentina (eu computo os dois títulos que o sensacional time da Argentina venceria na década de 40).

Mamãe, Iberê e eu fizemos nossa festa particular. Mais uma vez estávamos certos.  Deus existia. E não era brasileiro, como eu costumava ouvir na rua. Era argentino.



Escrito por Riccardo Joss às 19:34:29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



+10

     Quando a Adidas lançou a campanha +10 para a Copa, provoquei Emiliano para formarmos dois times como os garotinhos da propaganda. Comecei escolhendo e montei um time dos sonhos: Buffon, Thuram, Passarella, Beckembauer e Maldini; Redondo, Cruijff, Pelé e Maradona; Garrincha e Ronaldo.  Meu ex-vizinho é mesmo muito engraçado. Vejam o time que ele montou: Dassaev, Leandro, Gamarra, Hierro e Mazinho; Mathias Sammer, Sócrates, Baggio, Zico e Platini; Romário. Quem você escolheria?

 



Escrito por Riccardo Joss às 15:54:01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



RANKING

1° Eu: 55 pontos

2° Luciana: 54 pontos

3° Rodrigo Jardim: 45 pontos

4° Emiliaaaaaaaano: 44 pontos

5° Fraga: 40 pontos 

6° Moacir Caetano: 37 pontos

7° Hugo: 32 pontos

8° Tizzo: 26 pontos

9° Rody: 25 pontos

10° Cacá: 1 ponto

 

E chegaram as quartas-de-final. A emoção aumenta, mas sinto falta dos jogos. Dois dias sem jogos? Acordei e lembrei que não tenho nada para ver na televisão. Passarei o dia revendo os melhores momentos até agora. Qual o mais belo gol? Quais são as surpresas e decepções? Quem será o campeão? Minha aposta na Itália, mesmo sendo um pouco irracional – mas o futebol também o é – continua de pé. Ainda não decidi quais são meus palpites para a fase que cmeça na sexta-feira. Claro que mimnha maior dúvida é entre Alemanha e Argentina. Vou torcer para os hermanos, mas nunca se deve brincar com alemães. Shalom!



Escrito por Riccardo Joss às 10:30:40
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



ZIZOU

Cometi uma heresia. Duvidei da genialidade de Zizou. Não se pode desprezar os gênios. R9 já tinha calado a boca da patuléia. Hoje foi a vez de Zidane. Muitas vezes li que Zizou tinha feito em toda sua carreira apenas os dois gols da França na final da Copa de 98. Sempre fui um grande admirador do argelino. Tive dúvidas, apesar de te dito pro Pequiman que ele estava se poupando pra Copa e que estava pouco ligando pro Real Madri. Ele e R9 são deuses, são destaques quando o mundo está todo olhando pra eles. Até o Cacá verá os gols da dupla. Não preciso falar nada, vão mostrar no Jornal Nacional.



Escrito por Riccardo Joss às 17:21:10
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



"NEM MORTA! ISSO DEVE ESTAR FEDENDO CEBOLA!"

Autor: Dona Emiliana

Quando: depois de Brazil 3 x 0 Gana

Terminando o jogo, Emiliaaaaaaaaaano perguntou à sua mãe: A senhora quer a camisa desse preto aí (Appiah), depois do jogo?

Dona Emiliana, que não é Jean-Marie Le Pen, deu a fantástica resposta acima.



Categoria: Citação
Escrito por Riccardo Joss às 17:18:46
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Para os futebolistas

 

Já é madrugada e não consigo dormir. Só penso na Copa do Mundo. Adianto que não estou ansioso por causa do jogo de logo mais do nosso time de dentuços. Minha angústia é saber se vale a pena ficar escrevendo tanto sobre futebol para dois leitores que gostam realmente de futebol. Sou de uma época que era vergonhoso gostar do ludopédio bretão. O futebol era o ópio do povo. Poucos vão se lembrar.

O editor da Granta, Bill Buford, afirmou: “O terreno do futebol é um lugar onde os homens sentem as coisas mais intensamente e numa gama muito maior de emoções que provavelmente em qualquer outro aspecto da vida.” Continua, “Muito mais sentimentos se passam num estádio que, digamos, num casamento”.

Uns néscios só descobrem o prazer do jogo de bola em época de Copa. Quando agosto chegar, eles terão na lembrança a Fátima Bernardes na Alemanha e a morte prematura do Bussunda. Os amantes do futebol sentirão saudades dos jogos, independentemente de qual país leve a taça pra casa.

Pra curar a ressaca, verei jogos chatos do Campeonato Brasileiro. Passarei horas com Pequiman ao telefone discutindo o destino de Paulo Baier. Lerei o Fraga reclamando das arbitragens nos jogos do Cruzeiro. Emiliano prometeu voltar aos campos de futebol, lembrando dos tempos que íamos ao Serra Dourada ver Maradona jogar.

O futebol tem mudado, tanto fora como dentro de campos. Já temos shopping center e churrascaria nos estádios, mesmo no Brazil, mas este esporte ainda tem um coração selvagem. O imprevisível do jogo não deixa que eu o abandone, por mais que tenha tido tal vontade tantas vezes.

Fiquei uns anos sem ver o Atlético-GO jogar. Quando voltei ao Antônio Aciolly, descobri que estava mais animado que nunca. E fiquei absurdamente envolvido.

Oxalá não chegue o dia que eu não queira mais ver futebol.



Escrito por Riccardo Joss às 01:17:10
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



FALTA E PÊNALTI

 

 

Nos anos 80, uma célebre disputa de falta e pênalti na Rua 93 marcou a história do futebol do Setor Sul. Na décima partida, já passando das 22h, eu e André com nove vitórias sobre a dupla Grego-Emiliano, fomos para o gol. Sim, nas cobranças de faltas, dois eram os goleiros. E lá vai o Grego já furioso para a cobrança decisiva. Uma porrada! E até hoje não acharam a bola na Rua 94.

É inevitável que esta imagem sempre venha à minha mente quando dois times disputam uma vaga ou título nos pênaltis. Sempre espero que os meus adversários tenham a categoria do Grego.

Lastimável!



Escrito por Riccardo Joss às 18:33:12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



A Batalha de Nuremberg

Nuremberg é uma das cidades mais marcadas pelo nazismo. Foi lá que Hitler implementou suas leis raciais contra os judeus eslavos. A II Guerra acabou e foi lá o Tribunal de Nuremberg, que durou oito meses em 1946 e 1947. Juristas dos países aliados julgaram 23 membros do Partido Nazista por crimes de guerra e contra a humanidade.

Esta breve introdução serve para que não digam que só falo de Copa do Mundo e porque hoje aconteceu o jogo que fatalmente será chamado de A Batalha de Nuremberg, entre os Tungas e os holandeses. Foi o jogo mais violento de todas as Copas. Nunca vi nada igual.

Claro que Felipão tinha que participar de prélio tão duro. Quem conhece futebol sabe bem da truculência do treinador, desde os tempos de Grêmio, quando batia (porrada mesmo) no Luxemburgo em confrontos no Estádio Olímpico. E nunca escondi que, mesmo feliz com a Libertadores de 99 (vencida nos pênaltis), sempre gostei mais dos Palmeiras do Luxa.

Foi um massacre da Holanda, combatido com muita catimba pelo time lusitano. Não vou negar que os Laranjas também são maldosos, mas Felipão é rústico. Seus times vencem, mas jogam feio e só vencem por 1 a 0. E sempre cheio de volantes. Costinha é uma piada, sem trocadilhos.  No intervalo, obviamente, Scolari colocou mais um volante. E assim foi até o apito final.

O time de Van Basten foi decepcionante. Os pontas pouco criaram, faltou fairplay, mas a Holanda foi melhor. O futebol técnico perdeu mais uma vez. E Felipão será elogiado. Parreira é criticado por montar times defensivos. Só Felipão pode jogar com dois cabeças-de-área. Bradam por todos os cantos que futebol tem que ser bonito, ofensivo, mas aplaudem Scolari. Van Basten será criticado por não ter levado a negrada holandesa. Mais uma vez o bonito futebol dos Países Baixos cai fora de uma Copa.

Não acredito em futebol-arte e outras bobagens. Gosto de times bem armados taticamente, seja na defesa ou no ataque. Portugal não tem nada disso. Por fim, o medo venceu a coragem.



Escrito por Riccardo Joss às 18:27:51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



BOLÃO

1° Eu: 51 pontos

2° Luciana: 49 pontos

3° Rodrigo Jardim: 39 pontos

4° Emiliaaaaaaaano: 37 pontos

5° Fraga: 34 pontos 

6° Moacir Caetano: 32 pontos

7° Hugo: 32 pontos

8° Tizzo: 26 pontos

9° Rody: 25 pontos

10° Cacá: 1 ponto

 

Meus palpites pra segunda e terça:

 

ITA 2 X 1 AUS

SUI 1 X O UCR

 

BRA 2 X 1 GAN

ESP 3 X 2 FRA



Escrito por Riccardo Joss às 17:13:35
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



UM SONHO A MAIS

Copa do Mundo é a união de povos de todo planeta. É a chance de gentinha de países desconhecidos chegar perto de deuses do futebol. Vai além do futebol. Homens como Becks, R10, Henry, Zizou e Roman são estrelas. Muitas mais conhecidas que atores de cinema e líderes de bandas de rock.

Jules Rimet foi um gênio ao criar um campeonato mundial entre seleções. E, se ele tivesse vivo, estaria adorando a Copa da Alemanha. Tudo está dando certo, os grandes times estão se dando bem. De uma forma ou de outra, os craques estão aparecendo.

Como o estranho goleiro do Equador, sentirei falta da Copa quando julho chegar. Restar-me-á o Campeonato Brasileiro da Terceira Divisão. Como tudo na vida, o que é bom deixa saudades.

Temos sonhos bons, mas a vida é de terceira divisão. Ou, então, um pesadelo em Quito.



Escrito por Riccardo Joss às 14:10:30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]