Meu Perfil
BRASIL, Centro-Oeste, GOIANIA, Homem



Histórico


Categorias
Todas as mensagens
 Link
 Evento
 Citação
 Avaliação
 Objeto de Desejo


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 Pequiman
 Kaio
 Randall
 Matheus Azevedo (música boa)
 Michi
 Trivela
 Zeca Camargo
 Lúcio Ribeiro
 Lisandro Nogueira


 
 
Um Tiro no Escuro

Avaliação



NÃO CAI DO CÉU, DANIEL

http://www.sebodobac.com/

Classificação:

Para começar, vou esclarecendo que nunca conversei (nem virtualmente) com o Randall Neto, não conheço seu avô e nunca passei perto de Sorocaba. Descobri seu blógui através do Emiliano, que não faz idéia do motivo pelo qual colocou o link do Febre Alta no Cão Elegante. Who cares?

Quando li o Febre Alta me deparei com um cara palmeirense, que odiava o Ceni e o Senna, ouvia Beatles e lia Nick Hornby. Pensei logo que seria um blog que eu voltaria a ler. E foi o que aconteceu: tornou-se leitura obrigatória.

No final do ano passado, Randall lançou mais um dos seus livros: Não cai do céu, Daniel. Queria ir ao lançamento do livro aqui em Goiânia, mas foi no final de semana no qual rompi meu tendão de Aquiles.  Enrolei para adiquiri-lo via internet e o tempo foi passando. Já andava quase sem mancar e, enfim, comprei meu exemplar. Alguns imprevistos, mas o livro chegou.

A dedicatória já foi genial e copio aqui: “Para o Riccardo, um livro que não pretende a perfeição de um meio-campo Tição-Marçal-Valdeir, mas espera superar uma zaga Dick e Raimundo. Abc, Randall”. Futebol é minha vida e também tem muita importância na do cara. Está no livro.

Desde Febre de Bola, eu não lia um livro que parecia tanto comigo, por mais que isso pareça presunçoso. Minha relação com meu pai é complicada, como já citei várias vezes por aqui, e o livro fala um pouco disso. “ (...) toda situação envolvendo pais e filhos faz menção ao cheiro de loção pós-barba.” Até hoje sinto o cheiro de meu pai quando ele voltou a nos visitar depois de dois anos de ausência. Isso foi em 76. A sacada do Randall me deixou estupefato.

Queria mais futebol no livro, mas quando Daniel conta que desconfiou da “viadagem” do seu tio dede que resolveu torcer pro SPFC com a desculpa que era por causa do Telê dei muita risada. Antológico.

Quem me conhece sabe o quanto New Order, Ira! e Beatles são importantes na minha vida. O autor usa três letras de música na obra: Bizarre Love Triangle, Casa de Papel e In my life (que é das poucas músicas que já postei aqui). Waaal!

Li tudo muito rápido e sempre fazia conexão com coisas que o Nick Hornby escreveu. Gostei disso. Gosto de livros que mostram tomadas de decisões. Crime e castigo.  

Faltou, porém, algo no livro. É provável que os íntimos do RN saibam, mas eu fiquei curioso. A carreira do Lennon é mais criativa que algumas coisas dos Fab4? Hummm.

Por fim, comprem o livro. Mesmo quem me odeia, experimente, nem que seja para falar mal. A conta bancária do autor (do livro) agradece. Ele nem é meu amigo e torce pelo Goiás. Podem comprar. Tem no Sebo do Bac, que tá ali no link.

 



Escrito por Riccardo Joss às 18:03:52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



MARIA ANTONIETA

Classificação:

Maria Antonieta é uns dos filmes que mais me deu sono nos últimos 15 anos. O figurino ganhou o Oscar. E mereceu. E só. Não podemos esquecer que a Maria Antonieta era mesmo fashion, mas isso não faz com que o filme deixe de ser chato. A trilha é ótima, mas não combinou com o filme. Mais uma decepção. E paguei inteira. Tsc.   



Escrito por Riccardo Joss às 19:22:44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



MOTOQUEIRO CARECA

Classificação:

Há muito tempo eu esperava o filme do Cavaleiro Fantasma. Ops, Motoqueiro. Há muito tempo eu não ia ao cinema no sábado à tarde. Há mais de um ano Emil me enviou o teaser do Motoqueiro Fantasma. Fiquei louco. Não via a hora de ver o longa. Esperei um filme legal mesmo com Nicolas Cage. Mesmo com a peruca do Nicolas Cage. Ontem, no JA Edição do Almoço, tive que concordar com o Lisandro: NC é muito ruim. Mas o filme deve ser legal, pensei. Fui ler a Rutinha. O Cavaleiro come jujuba e ouve Carpenters? Porra! Mas não poderia concordar com a dupla Lisandro e Rutinha. Eles gostam de Babel. Cacá me ligou pra ver o filme, mas eu estava morrendo de sono. Chegou o sábado e minha curiosidade me tirou de casa. Comprei meu milkshake e fui todo animadinho para a sala de exibição. Ai, ai. Quão infantil! Como é bobo! Na saída, tomei cuidado para, ainda manquitolando, não tropeçar numa corrente de clichês. Como Nicolas Cage é bobo! Como eu fui bobo! Melhor é ficar em casa assisitindo a Heroes. E por falar em seriado, Cacá, Chris Troy levou ... Heh.



Escrito por Riccardo Joss às 18:35:20
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



APOCALYPTO

Classificação:

Mel Gibson faz filmes violentos? Foda-se. Quando ele atuava nos Mad Max, todo mundo adorava e virou cult. Agora quando ele dirige, é criticado pela violência. Apocalypto é mesmo violento. E daí? A história é boba e estou cagando e andando pra maias, incas, astecas, tamoios e afins. O filme é animado e com cenas de ação bastante divertidas. Me diverti na segunda de Carnaval, mesmo sem marchinhas. Por mais bobo que seja Mel Gibson, seus filmes me divertem. Quem quiser cultura que vá ler livros.

Talvez eu venha aqui falar sobre maias, assunto que eu certamente conheço mais que o Mel Gibson. Mas sei que meu público não vai se interessar. Vocês gostam é de fofoca. Tsc.



Escrito por Riccardo Joss às 19:22:29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



NOITE DE TÉDIO

Classificação:

Foi mesmo uma semana de filmes ruins. Mas depois de ver "Uma Noite no Museu",  até mudei um pouco meu conceito em relação ao filme do Ridley Scott. Eu sempre fujo do Robin Williams, mas a vontade sair de casa, me moveu (sem botinha) ao cinema. Achei bom sair de casa, mas o filme é a pior merda já feita em quase todos os tempos. O roteiro é cheio de furos, o mote é mais infantil do que qualquer merda que o Emiliano vê nas suas tardes de ócio. Não consegui rir em NENHUM momento. Lixo de filme! O foda é que a Folha, o jornaleco que o Cacá adora, falou bem do filme. Se a Folha elogiou, fuja.

 

P.S: fora que o filme tem os mortos-vivos (Mickey Rooney, Dick Van Dyke e Bill Cobbs) da foto. Cripes.



Escrito por Riccardo Joss às 11:41:33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



THE AUTOMATIC

http://www.theautomatic.co.uk

Classificação:

Pode parecer pueril, mas é a banda que descobri hoje e gostei. E o Dia das Crianças já passou. Heh. Pra quem se interessa, eles são de Cardiff.



Escrito por Riccardo Joss às 12:21:04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



O DIABO VESTE C&A

Classificação:

Qualquer roupa ou acessório é importante para compor deduções sobre uma pessoa. Os sapatos (pensei em falar das camisetinhas do Cacá), por exemplo, estão na linha de frente da personalidade. É a moda. Conheço gente vestida de maneira cara, mas, em geral, é tudo gritante e descombinado. Ninguém se veste como modelo, exceto modelos. Ninguém tem corpo de modelo, masculino ou feminino.

 

Fui ver “O Diabo Veste Prada” e saí mal do cinema. O longa é mais profundo do que eu e as Isabelas Bostovs da vida imaginavam. O filme é sobre o poder e sobre as opções que tomamos na vida. Está tudo no filme. É uma discussão sobre anseios e frustrações etc. Não preciso ver Bergman para pensar nas inevitáveis desilusões das pessoas.

 

Por fim, sempre tenho medo da Merly Streep machucar alguém com seus movimentos de braços tal qual um bonecão de posto de gasolina. Desta vez, ela está contida. Parabéns pro diretor David Frankel, que deve ter amarrado a Renata Sorrah americana.

 



Escrito por Riccardo Joss às 15:12:23
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



A DESCIDA

Classificação:

Filme de terror sempre parece bem infantil, com um casal bonitinho sofrendo para se livrar de criaturas do mal. O amiguinho engraçado sempre se fode (mais ainda se for preto) e outros clichês. O nem sempre astuto Pequiman indicou “Abismo Negro” e resolvi arriscar. Não me arrependi. Os monstrinhos são ridículos e ninguém explica como foram parar naquela caverna. O que vale são as relações entre as amigas já adultas que se aventuram numa caverna supostamente nunca visitada. Se não viram e pretendem assistir, parem de ler agora. O que mais me agradou na película foi a japa antipática se ferrar. Com uma cara de boazinha,  a oriental traia sua melhor amiga com o seu marido e matou outra amiga de forma precipitada. Algo parecido com Pearl Harbor. A amiga corna se vinga. Bem feito. E termino com um esclarecimento sobre minha mágoa em relação ao povo nipônico. Um tio-avô de minha mãe servia em Pearl Harbor e se ferrou. É uma pena que eu não tenha leitores com parentes que moraram em Hiroshima ou Nagasaki.



Escrito por Riccardo Joss às 15:02:15
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



SERPENTES

Classificação:

Não preciso pegar um avião com Samuel L. Jackson para estar cercado de cobrinhas. E não venham com piadinhas infames e repetidas. Algumas cobras, aprendi no filme Snakes on board, têm o veneno fatal, mas outras nem são tão perigosas assim. A arte imitando a vida. Nem sempre é simples arrumar o antídoto para o veneno, principalmente se a cobra é de um lugar distante. É o Oriente Médio como metáfora para a periferia das grandes cidades. Uma das maiores lições que aprendi (e na época até postei no finado e saudoso BR153) foi com o filme Anaconda 2 e era: melhor comer do que ser comido. Vendo Serpentes a bordo, aprendi sobre o veneno que cada um dos ofídios pode expelir (?). As mordidas das bichas (ops!) também não deixam de ter graça. O filme é trash. Mas a vida não é mesmo um lixo?



Escrito por Riccardo Joss às 10:39:42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



SANDMAN

Classificação:

Neil Gaiman é um gênio. Era, entre muitas outras, uma lacuna intelectual na minha formação nunca ter lido Sandman. As vidas em crise de suas histórias se parecem fatalmente com a minha. É um pesadelo.



Escrito por Riccardo Joss às 15:09:47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Nationalmannschaft

Classificação:

RANGENDO OS DENTES

 

Klinsmann vem sendo criticado aqui e acolá, desde que substituiu Voller, 2 anos atrás. Poucos sabem que ele criou o Projekt 2006 com os mais modernos conceitos de fitness, nutrição e psicologia. Beckenbauer, antigão, ficou enciumado, tal qual Pelé por aqui. Muita gente critica o world-class Ballack, mas ele é craque e seria titular no Brazil e na Argentina. A culpa é da imprensa, que fala muita merda em qualquer canto do mundo. E néscios são maioria dos seres humanos. Acreditam em tudo que sai na Globo e afins. Não é certo comparar Ballack com Seeler, Rummenigge, Mattahus e com o próprio Beckenbauer. Tentaram desanimar a torcida alemã, que antes do jogo contra a Costa Rica não acreditava no título. Não se brinca com alemães, qualquer um menos desavisado sabe disso. A derrota de 4x1 pra Itália serviu apenas pra dar munição aos críticos do técnico do Nationalmannschaft. O Grupo A era mesmo fraco, mas serviu pra dar forças pra Alemanha crescer. Klinsmann deu ritmo ao seu bom meio-campo, consertou os erros da defesa com o Huth, o Muro de Berlim, e tem dois atacantes perigosos e mais rápidos que duplas mais cotadas. Klinsmann sabia que o tudo mudaria com o apito inicial da Copa. E estamos vendo um time com uma aplicação tática invejável, além de lampejos de criatividade dos três meias: Ballack, Schweinsteiger e Scheneider. Reparem que eles jogam com um só volante. E Frings faz gol. É de meter medo.



Escrito por Riccardo Joss às 12:51:00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



X-MEN 3

Classificação:

X-Men nunca foi meu gibi preferido. Todos estão cansados de saber de meu fascínio pelo Bruce Wayne. Dizem até que chorei por não ganhar uma camiseta do Batman. Mas o post é apenas para eu poder avaliar o novo filme da turma da Escolinha do professor Xavier. É disparado o melhor da série. Fazia tempo que eu não me divertia tanto. Talvez pela influência do Emiliano, que nos últimos tempos tem me feito pensar como um adolescente idiota. Um perfeito idiota. A foto é em homenagem a ele, que no passado invadiu o BEG, tal qual um mutante. Emil já falou do filme no site dele, já avisou pra não sairmos da sala antes do fim dos créditos (X não morreu), mas não tinha avisado que Magneto não perde seus poderes.

 

Durante o filme, fiquei pensando em mutantes brasileiros. Lembrei do Chacrinha (nosso Charles Xavier) e suas chacretes: Sarita Catatau, Fátima Boa Viagem, Lia Hollywood,  Rita Cadillac (clichê), Gracinha Copacabana, Rosely Dinamite e outras, além da Elke Maravilha. Não duvido que existam mais mutantes aqui no Bananão, mas vou deixar as sugestões para meus criativos leitores.

 



Escrito por Riccardo Joss às 22:54:50
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



LÁZARO RAMOS

Classificação:

Não nada mais nojento na tv brasileira hoje que o tal Foguinho. Aquele bigode descolorido, tal qual o cabelo do Emiliano, me causa engulhos. Mas pior que o visual é a atuação de Lázaro Ramos. Quem inventou este cara como ator merece ver a novela todo dia. Sei que ele faz parte do Bando de Teatro Olodum, formado por atores negros de Salvador. O ator baiano não consegue falar, dando a impressão que tem a língua mole. No Orkut achei um cara que sente nojo no jeito de falar o Lázaro Ramos. Torço para que caia fora da Globo e faça filmes alternativos de travestis na Bahia. Ou participações nos clássicos da Carla Perez. Nem tudo que a África nos deu é bom como eu disse no post anterior.



Escrito por Riccardo Joss às 19:38:05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



The Three Burials of Melquiades Estrada

 

Classificação:

A morte sempre me parece bizarra. Na semana passada, sonhei que conversava com uma tia que já morreu faz tempo. Conversava com ela no caixão do seu velório. Bizarro. Dizem que os humanos se diferenciam dos animais porque nós enterramos nossos parceiros. Minha mãe enterrou o Dingo. E Tommy Lee Jones quer enterrar o seu amigo Melchiades. No México. E fugindo da polícia a cavalo. De carona, leva o policial de fronteira que matou o mexicano.

O filme tem um pouco de “Crash”, mas sem pretos. TLJ tenta levar certa dignidade ao morto. Tenta humanizá-lo, já que um mexicano e um coiote são tratados da mesma maneira pelos americanos. A vida do policial americano também é uma merda. Não come a mulher e fica batendo punheta na fronteira. No fim, a redenção pelo enterro. Contei. Heh.

Mas o filme não é só isso. Você tem muitas maneiras de interpretar o filme. Pode até encontrar um viés político. Os críticos sempre gostam de achar uma maneira de criticar o Bush num filme americano. Vejo como um filme sobre a morte e a amizade incondicional. Sai do cinema pensando quais amigos eu carregaria pra ser enterrado no México. Ang Lee devia assistir para conhecer o que é um vaqueiro americano. Nos enterros de Melchiades temos momentos dramáticos e sombrios. Se querem ver um filme melancólico e profundo, assistam este. E façam de conta que TLJ teve um caso com Barry Pepper.



Escrito por Riccardo Joss às 21:41:39
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



PAUL McCARTNEY *IN RED SQUARE*

Classificação:

 

Quando fico nostálgico, sinto medo de fazer avaliações erradas. Hoje, enfim, assisti ao DVD do Macca na Praça Vermelha. Waaal! Fiquei arrepiado umas três vezes. Paul é deus. Não é à toa que os Beatles eram (será que ainda são?) mais famosos que Jesus.

A cada canção, eu pensava: esta é a melhor dos Beatles? E ele tocava uma melhor ainda. Já tentei, mas nunca consegui fazer uma lista com as melhores músicas dos Beatles. E a cada época da minha vida tenho um LP preferido dos Fab Four.

Mas o post nem é pra falar de coisas que todo mundo sabe e ouve. O que é mais engraçado no show é ver como o povo que vivia sobre a ditadura soviética ama Paul e seus asseclas. Mais hilário são fãs que ainda são comunistas com a bandeira vermelha da URSS com foice e martelo rebolando ao som das baladas de Macca. Comunistas são mesmo incoerentes. Queriam a mão pesada de Brejnev, mas adoram “Back in the USSR”. Conheço uns que votam no Lula ao som do Duran Duran, mas só o citei pra aumentar a audiência do blógui. O ex-chefão da KGB, Putin, também estava lá. Se segurando...O cara deve ter quebrado muitos álbuns brancos.

O que vale, com tudo isso, é a emoção de ver um beatle. Ainda mais o mais simpático deles. Deu até no Izvetia: “All they need is love AND PAUL – we have seen McCarteny and now we can die”. Yep.

Não vou escrever mais, já que Beatles nunca rendem comentários nos meus blóguis. E mesmo nostálgico, a avaliação é correta. Get back, Loretta.

 



Escrito por Riccardo Joss às 18:53:42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]